Ele é o cara certo pra mim? Como saber se estou fazendo a ESCOLHA certa?

Flávio Augusto, um palestrante e empreendedor brasileiro, em um dos seus vídeos no Youtube, fala sobre como nossas escolhas impactam nossa vida de forma POSITIVA ou NEGATIVA.

Ele comenta que dentre as diversas escolhas que fazemos diariamente, três dessas escolhas são muito importantes.

A primeira está relacionada aos nossos AMIGOS, aquelas pessoas que escolhemos para caminhar conosco, para compartilhar nossas histórias, para conversar nos bons e nos maus momentos. Esses amigos podem nos motivar ou nos puxar pra baixo, podem nos inspirar a crescer e sonhar grande, ou nos enfraquecer com pensamentos e comportamentos negativos, podem nos inspirar a sermos pessoas melhores ou piores. Por isso é essencial escolhermos bem essas pessoas, levando em conta a afinidade e admiração. Ande com pessoas que você admira e quer se tornar semelhante.

A segunda escolha importante é com quem você vai se relacionar e casar. Flávio fala que é preciso conhecer bem a pessoa durante o namoro e avaliar se vocês tem planos de futuro em comum, ele até aconselha:  “Menos amasso e mais conversa”.

Por último, fala que a terceira grande escolha é com quem você vai trabalhar.

Lembrando que investimos muito tempo da nossa vida ao lado dos nossos amigos, do nosso companheiro (a) e das pessoas do nosso trabalho. Por isso faz todo sentido escolhermos bem cada uma dessas pessoas.

Refletindo sobre a escolha da pessoa com quem vamos nos relacionar, percebo que quando um relacionamento começa por meio da amizade ele tende a ser muito harmonioso e duradouro.

Primeiro porque nesse tipo de relacionamento costuma existir “menos amasso e mais conversa”, o casal investe tempo em se conhecer melhor antes de ir direto para um namoro, eles são menos ansiosos, escutam mais, observam e se permitem descobrir interesses em comum.

É como se aos poucos fossem se identificando, se sentindo compreendidos, aceitos e importante um para o outro.

Casais que tem afinidades, que são semelhantes, tendem a ter uma convivência mais  alegre e com menos discussões porque eles tem sintonia, hobbies em comum, se divertem juntos porque ambos ficam satisfeitos com as escolhas que fazem.

A convivência flui com mais tranquilidade.

Juliana conheceu Fernando em um passeio de bike, ficaram amigos e descobriram que também gostavam de corrida e de animais. Trocaram o whatsapp e passaram a conversar mais vezes. Fernando deu dicas para Juliana de como melhorar seu desempenho na bike. Juliana deu dicas para Fernando sobre qual aplicativo seria bom para os treinos de corrida. Eles foram se encantando, se ajudando e se apaixonando um pelo outro. Era fácil decidir o que fazer no fim de semana.

Eles não precisam ficar negociando o tempo inteiro como os casais que são muito diferentes.

Os casais que são muito diferentes precisam estar dispostos a negociarem muitas vezes:  “Ta bom, hoje a gente vai ao cinema, mas no outro fim de semana quero ir ao teatro”…  “Quero passar as férias na praia!”;  “Ah não ! Odeio sol!”

É comum um deles se sentir lesado por ter de ceder muitas vezes. E alguns casais se cansam de terem de negociar tanto. Nesses casos é muito importante ter empatia e entender o lado do parceiro (a).

Ana por exemplo, adorava sair, não perdia uma festa de aniversário ou casamento! Se encantou por Luís, um cara tímido. No começo ele até a acompanhava nas festas, mas depois foi se cansando e pedia para voltar cedo pra casa. Ela ficava chateada. Ele dizia que era caseiro e preferia ficar em casa assistindo Netflix. Ana até tentou ficar mais em casa e assistir algumas séries com ele. Mas sentia falta das festas e dos muitos amigos. Ambos esperavam que o outro fosse mudar. Ana começou a ir sozinha nas festas e Luís continuou com suas séries no Netflix também sozinho. E de tanto ficarem sozinhos, terminaram. 

Quando uma pessoa se apaixona por outra que tem gostos muito diferentes as situações ficam interessantes no começo, ambos aprendem e se permitem experimentar novas coisas, mas depois de um tempo tendem a voltar ao mesmo  comportamento habitual.

Então, se você está conhecendo alguém fique atenta:

1.      Observe se vocês tem afinidades

2.      Se tem hobbies em comum (vocês se divertem juntos?)

3.      Se os valores são semelhantes

4.      Se tem visão de futuro em comum

5.      Se o diálogo flui com facilidade

6.      Se a visão sobre finanças é semelhante

7.      Se existe atração física

Esses itens costumam influenciar bastante o dia a dia do prático do casal!

Por hoje é só…  Gostaram das dicas? O que estão achando do nosso cantinho aqui no blog?

Comentem  e compartilhem conosco suas histórias .

Até quarta feira que vem.

Beijos,

6 comentários sobre “Ele é o cara certo pra mim? Como saber se estou fazendo a ESCOLHA certa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *